Câncer de mama: Sintomas, Causas, Tipos e muito mais!

0
152

Somente em 2018 e provavelmente em 2019 também, a estimativa é de que o Brasil tenha em média 600 mil novos casos de câncer de mama, que é o terceiro tipo de câncer mais comum dentre os brasileiros.

Esses são apenas alguns dos dados que o Instituto Nacional do Câncer divulga a cada ano, o que exige cada vez mais novos alertas para o diagnóstico precoce.

E você, sabe como identificar o câncer de mama? Sabe o que pode causar essa terrível doença?

Saiba que o conhecimento é a melhor forma de prevenção, e pensando nisso, preparamos um texto rico e informativo sobre o câncer de mama para você. Confira e repasse para seus amigos e familiares!

Câncer de mama

Principais sintomas do câncer de mama

O câncer de mama representa a presença de um tumor maligno que cresce na mama e passa a se multiplicar descontroladamente.

Os sinais e sintomas desse câncer não necessariamente são manifestados da mesma forma em todas as pessoas, sendo que umas podem apresentar alguns deles e outras não.

De toda forma, é necessário conhecer os principais tipos de alterações que podem acontecer no corpo que vão servir de alerta para identificar a doença ou não.

  • Dor na mama ou no mamilo;
  • Secreção saindo pelos mamilos, com aspecto seroso amarelado ou de sangue; esse sintoma pode indicar que a doença está no estágio inicial;
  • Sensação de um nódulo na axila;
  • Sensação de presença de uma massa ou nódulo na mama;
  • Feridas ou crostas no mamilo;
  • Inchaço na pele, seja numa parte ou mama completa;
  • Vermelhidão na pele;
  • Sensação de calor na mama;
  • Irritação ou coceira em alguma parte da mama;
  • Ponto único de aspecto endurecido na mama;
  • Alterações no aspecto da pele da mama ou do mamilo, tendo um espessamento ou encolhimento da área; pode apresentar também um aspecto de textura de casca de laranja;
  • Pode ocorrer também uma espécie de inversão do mamilo, em que a pele repuxa e o mamilo pode inverter.

O melhor momento para essa avaliação é quando as mamas não estão inchadas, ou seja, fora da época de menstruação.

Câncer de mama dói?

Sentir dor na mama raramente pode ser um sintoma do câncer de mama. Este pode ser o super raro câncer de mama inflamatório, que é bem agressivo e exige tratamentos específicos.

Já quanto a outros tipos de cânceres de mama, os mais comuns em suas fases iniciais não apresentam dor, apenas em fases avançadas.

Possíveis causas e fatores de risco do câncer de mama

As causas para o câncer de mama são bem variadas, podendo ser por conta de fatores externos ou internos, que acabam se relacionando entre si. Tais fatores de risco não abrangem 100% dos casos, mas são potenciais decorrentes para a incidência do câncer de mama:

  • Simplesmente ser mulher;
  • Presença de casos no histórico familiar;
  • Predisposição genética;
  • Menstruação precoce antes dos 12 anos;
  • Envelhecimento;
  • Menopausa tardia;
  • Terapia de reposição hormonal.
  • Mamas grandes e densas;
  • Sofrer de obesidade, pois se produz mais estrogênio e aumenta o risco; essas chances aumentam ainda mais depois dos 50 anos;
  • Ser sedentário;
  • Alcoolismo;
  • Tabagismo;
  • Quem já teve a doença numa mama corre risco de desenvolver na outra;
  • Radiação através de exames como radiografias e tomografias, ou também radioterapia em tratamentos anteriores, podem aumentar os riscos;

Avanço da idade e câncer de mama

O risco para desenvolvimento do câncer de mama é maior de acordo com o avanço da idade. Em média, as chances aumentam especialmente a partir dos 50 anos de idade.

Tipos de câncer de mama

Os diferentes tipos de câncer de mama podem divididos em comuns ou mais raros. Cada tipo como também o estágio no qual a doença se encontra somente pode ser diagnosticado através de avaliação médica e exames.

  1. Comuns:

  • Carcinoma Ductal In Situ: Câncer de mama pré-invasivo;
  • Carcinoma Lobular In Situ: Neste, as células são semelhantes a células de câncer que crescem em glândulas produtoras de leite, mas são se desenvolvem pela parede dos lobos;
  • Carcinoma Ductal Invasivo: É o tipo mais comum, o qual se inicia em um duto de leite e se desenvolve pelo tecido adiposo da mama;
  • Carcinoma Lobular Invasivo: Começa nas glândulas produtoras de leite e pode se espalhar para outras partes do corpo.
  1. Menos comuns (raros)

  • Câncer de mama inflamatório: Mais agressivo, atinge de 1 a 3% dos casos;
  • Doença de Paget: Começa dos ductos mamários, vai para a pele do mamilo e para a aréola; atinge 1% dos casos;
  • Tumor Filoide: Muito raro, cresce no estroma da mama e se expande para os ductos mamários;
  • Angiosarcoma: Começa nas células dos vasos sanguíneos ou vasos linfáticos da mama.

Como é feito o diagnóstico do câncer de mama?

Em caso de suspeitas com base nos possíveis sinais e sintomas da doença, deve-se ir a um médico, que pode ser um clínico-geral ou diretamente no oncologista (depende do encaminhamento).

Na consulta, o médico fará exame clínico, poderá pedir exames de imagens para análise como mamografia, ultrassom ou ressonância, e nos casos de suspeita direta, já pede uma biópsia no possível tumor na mama, o qual será avaliado e confirmar ou não se é um câncer.

mamografia

Formas de detecção precoce do câncer de mama

É de extrema importância que todas as mulheres, de diferentes idades, saibam da importância do diagnóstico prévio do câncer de mama e como fazer.

Ainda que sem sintomas, toda mulher deve se cuidar e manter seus exames em dia, tanto em casa no dia a dia quanto nos exames médicos.

  1. Exame clínico médico das mamas, feito geralmente por ginecologista ou mastologista, o qual deve ser feito anualmente em mulheres com 40 anos+.
  2. Rastreamento mamográfico, que também deve ser feito anualmente em mulheres com 40 anos+.
  3. Autoexame das mamas, que deve ser feito mensalmente após a fase de menstruação, por mulheres de todas as idades.

Como é feito o autoexame de câncer de mama?

O autoexame é feito através da sua própria capacidade de observação e toque nas mamas, o qual deve ser feito pelo menos uma vez por mês.

Ao sinal de qualquer suspeita, seja com a presença de um nódulo incomum, ou coceira, ardor ou vermelhidão, comunique ao seu médico e realize exames se necessário. Para aprender a como fazer o autoexame das suas mamas, confira o vídeo abaixo:

Como saber se está com câncer de mama?

Basta ficar atento a todos os sinais anormais nas suas mamas e saúde no geral, conhecer seu histórico familiar e fatores genéticos a respeito da sua doença e também manter todos os exames necessários periodicamente em dia.

Ficar atenta é a melhor forma de se cuidar! E somente no caso de suspeitas do médico de acordo com os resultados dos seus exames que algum diagnóstico poderá confirmado. Não tire conclusões precipitadas.

Principais tratamentos para câncer de mama

  1. Tratamento local: O objetivo é remover o tumor sem afetar o resto do corpo. Dentre esses tratamentos estão inclusos radioterapia e cirurgia de remoção.
  2. Tratamento sistêmico: É feito uso de medicamentos via oral ou diretamente na corrente sanguínea. Podem ser diferentes tipos de tratamento de acordo com o tipo e estágio do câncer de mama. Dentre eles estão inclusos Quimioterapia, terapia hormonal e terapia alvo.

A escolha do melhor tratamento depende do estado de saúde da paciente, da opinião do médico, como também de suas preferências e questões pessoais.

Dentre os especialistas médicos que podem receitar os medicamentos para as pacientes em tratamento estão cirurgiões, oncologistas e radioterapeutas; em paralelo, tratamentos e auxílios podem ser feitos por nutricionistas, psicólogos, dentre outros.

Câncer de mama tem cura?

Sim, existe 95% de chance de cura nos casos diagnosticados de forma precoce, por isso é tão importante manter os exames em dia e ficar atento a qualquer mínimo sintoma. No geral, a cura é atingida quando o tumor cancerígeno é descoberto quando ainda mede menos de 1 cm.

Como é o câncer de mama em homens?

Homens, saibam que o câncer de mama não é uma doença exclusiva das mulheres! Nos homens, os primeiros sinais de câncer de mama podem apresentar inchaços indolores na área das mamas, pele ondulada ou enrugada, retração do mamilo, vermelhidão ou descamação da pele ou também inchaço na região das axilas.

Muitas vezes, alguns desses sinais não se referem a câncer de mama e sim a sintomas de ginecomastia, mas, assim como as mulheres, devem estar atentos também a qualquer sinal anormal nas suas mamas e procurar um médico com antecedência para avaliação clínica.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here