HPV: O que é, Sintomas, Causas, Tratamentos e mais!

0
64

Hoje falaremos sobre o HPV, um vírus muito comum que causa doenças sexualmente transmissíveis entre as pessoas, tanto homens quanto mulheres, e que necessita de diagnóstico rápido para evitar complicações como cânceres e outras doenças sérias.

hpv

Saiba mais sobre o HPV, seus sintomas, causas, tratamentos e muito mais.

O que é HPV?

HPV é uma sigla em inglês relativa ao nome do seu vírus, o qual causa doenças no corpo que infectam a pele e mucosas oral, genital e/ou anal. Os sintomas variam de acordo com o sexo e a região do corpo afetada, mas no geral o vírus provoca verrugas e pode culminar num câncer, dependendo do tipo do vírus.

Agente etiológico do HPV

O nome do agente causador do HPV é um vírus chamado Papilomavírus humano, da família do Papovavirus. Possui mais de 70 sorotipos e vários deles são constantemente relacionados a vários tipos de cânceres.

Como pega HPV?

O HPV é considerada uma doença sexualmente transmissível, pois é possível pegar através do ato sexual. Ao contrário de outras DSTs que são transmitidas apenas pela troca de fluidos, o HPV também pode ser transmitido apenas pelo contato pele com pele.

Portanto, é uma das doenças mais fáceis de ser transmitidas. É essencial usar a camisinha para evitar a transmissão do HPV, incluindo em sexo anal e também oral.

Outras formas mais incomuns de transmissão, mas ainda possíveis, é pelo contato direto com as verrugas que se formam na pele ou mucosa, uso compartilhado de roupas e toalhas e também a transmissão de mãe para filho, que pode acontecer durante um parto.

É possível saber como a pessoa pegou HPV, e não quando, pois o vírus pode infectar e permanecer incubado por anos e anos até se manifestar.

Como homem pega HPV?

Apesar de ser uma doença muito mais comum entre as mulheres, os homens também podem adquirir o vírus por meio de sexo vaginal, anal ou oral.

Na maioria dos casos, o homem nem apresenta sintomas, mas certamente o vírus está presente em seu organismo e ele poderá transmitir para parceiros sexuais pelo contato íntimo.

Existem casos em que a parceira pode apresentar sintomas do HPV porque foi contaminada pelo vírus do homem.

Sintomas do HPV

  1. Em homens e mulheres:

  • Sintomas podem surgir dias, semanas, meses ou anos a partir da contaminação do vírus;
  • Várias verrugas pequenas na região íntima (principal sintoma);
  • Também pode surgir na boca, afetando regiões como garganta e língua;
  1. Em mulheres

  • Muitas verrugas de tamanhos variados na região genital, podendo ser na vulva, grandes e pequenos lábios, parede interna vaginal, colo do útero e/ou ânus;
  • As verrugas ficam bem juntas umas das outras, podendo formar placas únicas;
  • Na região íntima, a mulher pode sentir ardência, coceira e ter corrimento vaginal.
  1. Em homens

  • Muitas verrugas de medidas variadas na região genital, podendo ser no pênis, escroto e/ou ânus;
  • As verrugas ficam bem juntas umas das outras, podendo formar placas únicas;
  • Muitos homens não apresentam sintomas físicos, tendo seu HPV comprovado apenas por exames microscópicos.

Fotos de HPV

Confira abaixo algumas imagens referentes aos sintomas físicos do HPV em homens e mulheres:

Tipos de HPV

Os tipos de HPV variam de acordo com a forma do vírus. Existem 150 tipos identificados, mas sabe-se que existem mais de 200 tipos no geral.

O tipo de HPV somente pode ser identificado com certeza através de testes genéticos PCR ou teste de captura híbrida; ambos os testes também identificam se o tipo do HPV nas amostras de sangue do indivíduo é cancerígeno ou não.

HPV na boca e garganta

Quando o vírus se manifesta na boca, surgem várias verrugas de tamanhos diferentes na região dos lábios, bochechas, língua e céu da boca, podendo se estender pela mucosa da garganta.

Ou seja, as verrugas podem começar externamente e entrar pela garganta, ou vice-versa. A principal causa é quando ocorre o contato direto da boca com os genitais de uma pessoa com HPV através do sexo oral.

HPV tem cura?

Quando a pessoa tem bom sistema imunológico, daquelas que ficam raramente doentes, é comum que esta pessoa tenha uma cura espontânea e rápida do HPV no seu corpo, que é geralmente no período desde a 4ª semana até 2 anos depois da contaminação.

Quando não ocorre a cura espontânea, nem sempre existe a cura, vai depender muito do avanço da doença, da eficácia no tratamento e das possíveis complicações que cada pessoa pode ter ou não.

A partir do início do tratamento indicado pelo médico, os indícios de cura são a ausência das verrugas e também controle sobre exames como papanicolau e penioscopia.

Mesmo ao finalizar o tratamento e não havendo mais sintomas, a pessoa deve manter seus exames anualmente atualizados para rastrear vestígios ou “restos” do HPV, além de manter relações sexuais com camisinha para evitar outra contaminação.

Relação entre HPV e câncer

Como dissemos acima, existem vários tipos do HPV em que 14 podem criar lesões celulares cancerígenas. Os tipos 16 e 18 causam 70% dessas lesões, e outros como os tipos 31, 33 e 45 causam outros casos de câncer; outros tipos podem parecer inocentes de primeira vista, mas têm a capacidade de evoluir para um câncer no futuro.

Infelizmente, o HPV é um vírus muito facilmente ligado ao câncer no colo do útero da mulher, sendo um dos mais frequentes causadores de mortes. Quando a doença vai evoluindo, podem surgir dores, sangramentos e incômodos em relações sexuais.

Isso pode significar uma evolução de alto risco nas lesões, podendo causar o câncer no útero ou até mesmo no pênis; afinal as lesões podem representar tumores malignos que podem invadir tecidos vizinhos e causar seríssimas complicações. Por isso é tão importante a prevenção e diagnóstico precoce.

Vacina contra HPV

Existe uma injeção para prevenir lesões e doenças relacionadas a esse vírus, desde as verrugas simples às evoluções cancerígenas perigosas.

vacina

Você pode encontrar a vacina contra o HPV em postos de saúde pelo SUS e também em campanhas de vacinação espalhadas pela cidade de tempos em tempos. A vacina do SUS protege o organismo contra 4 dos mais comuns tipos de HPV no nosso país.

A Anvisa já aprovou outro tipo de vacina que protege contra 9 vírus, mas ainda não vem sendo aplicada em nosso país. No SUS, a vacina é gratuita; nos planos particulares, uma dose costuma custar de R$200 a R$300 reais.

Quando tomar a vacina contra HPV?

A vacina quadrivalente deve ser tomada por meninos e meninas entre 9 e 26 anos de idade para evitar transmissão da doença; a bivalente é outra fórmula da vacina indicada para meninas e mulheres a partir dos 10 anos.

Caso a pessoa já esteja infectada com o vírus quando for tomar a vacina, a eficácia da proteção poderá ser menor.

A vacina protege de todas as variações do vírus?

A vacina quadrivalente protege contra os vírus 6, 11, 16 e 18, já a bivalente protege apenas contra os vírus 16 e 18, maiores causadores de câncer de colo de útero no Brasil, por isso a dose é reforçada para as mulheres.

Tratamentos para HPV

Depois de diagnosticado através de análise e exames médicos, os tratamentos visam eliminar o vírus do organismo e também cuidar das verrugas, que são a manifestação básica externa dos vírus.

  • O médico pode passar desde pomadas a técnicas de cauterização na área das lesões;
  • Também poderá prescrever medicamentos destinados ao fortalecimento do sistema imunológico, incentivando-o a combater sozinho o vírus presente;
  • Durante o tratamento com remédios, também manter a alimentação saudável e usar camisinha em toda relação sexual, seja vaginal, anal ou oral.

Tratamento caseiro para HPV

A melhor dica caseira que podemos dar é melhorar a alimentação no geral, consumindo mais alimentos que reforcem o sistema imunológico, tais como ricos em vitamina C, suco de laranja, de acerola, chá de equinácea e afins.

Além disso, conte também com outros alimentos e produtos naturais para combater o vírus do HPV:

– Alho: Poderoso alimento antimicrobiano que pode ser consumido cru em refeições ou ainda refinado em forma de cápsulas que vendem em lojas naturais;

– Óleo da árvore do chá: Esse óleo tem efeito antiviral, antifúngico e antibacteriano, podendo tratar as lesões na pele; basta ser aplicado com um algodão na área afetada.

– Óleo de mamona: Dizem que esse óleo tem o poder de eliminar as verrugas, mas nem sempre poderá tratar diretamente o vírus. Misture 2 a 3 gotas do óleo com uma colher de bicarbonato de sódio, misture e aplique na área afetada.

Lembrando que nenhuma dica caseira substitui os medicamentos que o seu médico prescrever! O que pode ocorrer é um alívio nos sintomas físicos, junto a um aumento da imunidade e assim haver uma indução à cura espontânea. Mantenha os exames médicos em dia mesmo assim!

Prevenção do HPV

Saiba que para adquirir HPV basta contato de pele com pele, e não necessariamente com ejaculação ao final do sexo. Portanto, a camisinha é a melhor forma de prevenção, mas ainda assim é possível adquirir o vírus pelas regiões laterais onde a camisinha não cobre, caso estejam infectadas.

Portanto, a melhor forma de se prevenir é manter a camisinha e a vacinação em dia, certamente antes da contaminação; e mulheres, mantenham em dia seus exames preventivos para sempre estarem um passo a frente da contaminação desse vírus.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here