Labirintite: Sintomas, causas, remedios, tratamentos, Manobra de Epley

0
477

E, de repente, tudo começa a girar; você sente um zumbido no ouvido e fica super tonto. Isso pode ser labirintite! E você precisa tratar esse problema com atenção, pois pode afetar muito sua qualidade de vida.

Antes de procurar um médico para fazer diagnóstico da doença e tirar suas dúvidas, confira o texto de hoje sobre labirintite e conheça melhor seus sintomas e os possíveis tratamentos para a causa.

labirintite

Sintomas da labirintite

São muitos os sintomas que a labirintite traz para a vida da pessoa, envolvendo problemas visuais, auditivos, de equilíbrio e até emocionais. A intensidade de cada um varia de acordo com cada pessoa. São alguns:

  • Você enxerga tudo girando ao seu redor;
  • Fica difícil fixar os olhos em um único ponto;
  • Os olhos fazem movimentos involuntários;
  • A vista pode ficar embaçada;
  • A vista pode também ficar escurecida;
  • Pode haver sensibilidade visual à luz;
  • As pálpebras podem tremer;
  • Fica difícil andar em linha reta;
  • Tontura fácil ao dirigir, corpo fica instável;
  • Sensações constantes de desmaio;
  • Ouvido fica sensível;
  • Zumbido no ouvido;
  • Dificuldade para ouvir;
  • Pode ser difícil ficar em alguma posição de forma ereta, como sentar com a postura correta;
  • Dores de cabeça ou sensação de peso;
  • Dificuldade em se concentrar;
  • Traços da memória afetados;
  • Pigarro constante;
  • Falta de ar.

Causas da labirintite

Infelizmente, as causas específicas para tipo de labirintite ainda não são claras para os médicos. No entanto, sabe-se que a maioria dos casos é interligada a quadros de infecções e inflamações, como uma otite ou resfriado. Outras possíveis causas são:

  • Doenças neurológicas;
  • Compressões mecânicas;
  • Alterações genéticas;
  • Alergias;
  • Uso de medicamentos ou substâncias perigosas no ouvido interno;
  • Podem ser labirintites virais, ou seja, causada por algum vírus que entrou pela boca, nariz ou vias aéreas;
  • Podem ser labirintites bacterianas, ou seja, causada pela invasão de alguma bactéria no labirinto;
  • Também pode ser causada pelo estresse.

Todo mundo pode desenvolver labirintite, no entanto existem fatores de riscos, como idade acima de 40 anos, colesterol alto, tabagismo, alcoolismo, medicamentos em excesso, má alimentação, excesso de açúcar, dentre outros.

Por que os cristais do labirinto saem do lugar?

A tontura da labirintite acontece quando os pequenos cristais de cálcio que existem dentro do labirinto se desprendem do local, ficam “soltos”, gerando informações erradas sobre a posição da nossa cabeça e ocorre o desequilíbrio.

Essa “soltura” pode acontecer por diversas razões, como uma infecção no ouvido interno, pancada na cabeça, outras doenças do labirinto como doença de Ménière e migrânea, ou simplesmente um acontecimento normal com o envelhecimento. Essa tontura é chamada de Vertigem Posicional Paroxística Benigna (VPPB).

Como é feito o diagnóstico da labirintite?

Se você tem suspeitas de acordo com os sintomas relatados aqui no texto, o indicado é você procurar um contato de um otorrinolaringologista, que é o médico especialista em doenças no ouvido, nariz e garganta. O médico poderá lhe encher de perguntas referentes aos sintomas, portanto fique atento.

Alguns exames que ele poderá pedir para analisar seu caso são Eletroencefalograma, Eletronistagmografia, Tomografia computadorizada da cabeça, Ressonância magnética, Estímulos de calor no ouvido, dentre outros.

Esses exames podem diagnosticar a labirintite ou até mesmo tirar dúvidas sobre outras suspeitas ligadas a outras doenças, como hipoglicemia, hipertensão, etc.

Labirintite pode matar?

Pode ficar calma, pois mesmo a labirintite no geral sendo uma condição chatinha, que afeta muito a qualidade de vida das pessoas, é uma condição benigna que não apresenta riscos à vida e possui tratamentos!

No entanto, as labirintites provenientes de uma infecção são mais raras, podem trazer complicações e até ser letal. Daí vem a importância de não ignorar os sintomas, diagnosticar o quanto antes e tratar de forma precoce!

Labirintite é hereditário?

A labirintite em si não é hereditária. No entanto, alguns tipos de alergias ou outras doenças que são hereditárias têm como sintoma o desenvolvimento dessa condição.

Sendo assim, por esse ponto de vista, pode ser considerada hereditária. Se ficou com dúvidas, converse com seu médico sobre de onde será que vem sua labirintite!

Labirintite tem cura?

Sim, é possível ter uma vida livre da labirintite e seus sintomas. Isso depende exclusivamente de um diagnóstico feito corretamente para ser feito um tratamento apropriado, de curto e longo prazo.

Esse tratamento envolve remédios, alimentação, fisioterapia, dentre outros, como veremos a seguir.

Existe labirintite emocional?

Sim, existe, e ela está ligada a problemas de depressão e ansiedade. Na maioria das vezes, é desencadeada por fatores fortes como perda de parentes, traumas, síndromes, cobranças, dentre outros momentos difíceis na vida da pessoa.

O tratamento para essa condição envolve medicamentos para tratar o lado emocional, não somente a labirintite e seus sintomas, e também deve-se ter novos hábitos como evitar locais cheios de barulho, fazer atividades físicas, beber chás e calmantes naturais, fazer massagens relaxantes, dentre outras coisas visando relaxar.

Alguns tratamentos para labirintite

Tratamentos com fisioterapia:

Indicado para os casos crônicos, para ajudar a readaptar o sistema nervoso a esses sinais anormais do ouvido, evitando desenvolvimento dos sintomas; nessa terapia, movimentos e manobras são feitas com a cabeça do paciente lentamente para reposicionar os cristais no labirinto.

Manobra de Epley para labirintite

Esta é a manobra feita por um fisioterapeuta, médico ou fonoaudiólogo para os cristais voltarem ao seu local de origem. É um procedimento seguro e geralmente efetuado em poucos minutos. Confira abaixo como ela é fácil e rapidamente feita:

Remédios para labirintite

  • Antibióticos: Indicado para casos de labirintite bacteriana;
  • Benzodiazepinas: Reduzem a atividade do sistema nervoso central e alivia um pouco os sintomas; não devem ser usados de forma prolongada, pois causa dependência;
  • Antieméticos: Reduzem náuseas e vômitos;
  • Corticoides: Ajudam a reduzir sintomas fortes de inflamações no ouvido e alivia sintomas.
  • Antidepressivos: Para casos de labirintite emocional onde se precisa tratar o problema emocional em si.
  • Outros remédios relativos a outras doenças que desencadearam a labirintite.

Alimentação para quem tem labirintite

Fazer uma alimentação nutritiva regada a alimentos que são anti-inflamatórios naturais para fortalecer o organismo e combater as inflamações nos ouvidos é essencial.

Os melhores alimentos para isso são aqueles ricos em ômega 3, como salmão, sardinha e sementes de chia, por exemplo.

Evite também comer muito carboidratos e doces, bem como bebidas estimulantes como café e coca-cola, ou bebidas alcoólicas, por exemplo; e evite alimentos muito salgados ou temperados, pois excesso de sal aumenta a pressão no ouvido.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here