Peeling químico: Benefícios, preço, cuidados, como é feito, antes e depois

0
7782

Muitas pessoas falam sobre o quanto o peeling químico é cheio de benefícios para a pele, mas muito pouco é falado sobre as indicações, tipos existentes e como realmente esse procedimento estético funciona na nossa pele.

Quer saber mais sobre esse tratamento de beleza e saber se é realmente a opção que você precisa? Se liga no texto a seguir sobre peeling químico!Peeling químico

O que é peeling químico?

O peeling é um procedimento famoso nas clínicas estéticas por cuidar da pele, principalmente da facial. É chamado de químico quando usa ácidos no tratamento, que podem ser de diferentes tipos e ativos.

No geral, visa a descamação da pele, das camadas superficiais, a fim de renovar e eliminar as peles mais danificadas. Consequentemente, deixa a pele mais lisa, elástica, suave e refrescada, respirando melhor. É um procedimento usado tanto para quem busca tratamento contra acne quanto para tratamentos de rejuvenescimento.

Para que serve peeling químico?

Independente do tipo do peeling químico, todos eles servem para reparar danos causados na pele, por diversas razões, tais como exposição solar excessiva, acne, sinais de idade, queimadura, dentre outros.

Essa renovação das camadas mais superficiais visa tratar diferentes condições indesejadas na pele. Assim, a textura da pele tende a ficar melhor, a pele respira melhor e evita também de acontecer com maior frequência.

Tipos de peeling químico

  1. Peeling químico superficial

Nesse tipo de peeling químico, o ácido usado atinge e remove a camada mais externa da pele, de forma bem superficial. Ideal para clareamento de manchas e marquinhas superficiais de acne.

  1. Peeling químico médio

Nesse tipo de peeling químico, o ácido usado ajuda a remover as células mortas da epiderme, que é a mais superficial, mas também remove as células mortas da derme. Sendo assim, como é um pouco mais profundo, é ideal para tratamentos de cicatrizes de acne, ou rugas bem marcadas, linhas de expressão bem marcadas e também para tratar manchas mais profundas com tonalidades diferentes na pele.

  1. Peeling químico profundo

Nesse tipo de peeling químico, que é bem mais forte do que todos, a substância usada o é fenol que penetra bem na derme e traz resultados bem eficazes. Trata os danos mais profundos na pele, como pele danificada ao longo do tempo por conta dos raios solares, cicatrizes antigas de acne e também cicatrizes profundas provenientes de acidentes ou cirurgias.

Como é feito peeling químico?

Primeiramente, o profissional vai analisar a pele da pessoa e investigar as razões para os danos encontrados. Com base na avaliação, será especificado se será feito um peeling leve, médio ou profundo; em seguida, o ativo desse peeling será selecionado que podem ser:

  • Ácido retinóico: Indicado para combater estrias e incentivar a produção de colágeno;
  • Ácido glicólico: Permite que a pele fique mais macia e suaviza as rugas, também melhorando manchinhas de sol e acne;
  • Ácido salicílico: Indicado para clarear a pele, reduzindo rugas e tratando comedões de acne.
  • Ácido tricloroacético: Também conhecido como Blue Peel, é um novo método que mistura o ácido com uma substância azul, sendo indicado para o médico perceber a profundidade da ação do medicamento na pele e evitar possíveis complicações. Indicado para peles envelhecidas, ásperas, com acne e rugas finas.

E então, o profissional, que pode ser um dermatologista ou esteticista, faz um preparo da pele para receber o ácido em sequência. É um procedimento rápido, seguro à paciente (desde que não tenha nenhum tipo de alergia ao ativo do peeling químico) e que dura em média 30 minutos até a remoção completa do produto.

Pode ocorrer algum desconforto normal com ardência e queimação, mas não há necessidade de anestesia, apenas cuidados depois.

Indicações de peeling químico

São algumas das indicações do peeling químico:

  • Pigmentos irregulares;
  • Pele ressecada;
  • Acne leve;
  • Rugas superficiais;
  • Linhas finas;
  • Cicatrizes de acne;
  • Rugas mais profundas;
  • Tonalidades diferentes da pele;
  • Pele danificada pelo sol;
  • Áreas com aparência manchada;
  • Lesões diversas.

Peeling químico para estrias

De acordo com vários dermatologistas, o peeling químico mais eficaz para estrias antigas e novas, das vermelhas às esbranquiçadas, é o com ácido triclorooacético, numa concentração de 20%, pois ele é o que penetra mais profundamente e incentiva a produção natural de colágeno e elastina, essenciais para preencher os espaços das estrias.

Pode requerer outros tratamentos em paralelo para facilitar a absorção desse ativo pela pele, como algum laser ou microdermoabrasão, por exemplo.

Cuidados após o peeling químico

Alguns cuidados depois do peeling químico são essenciais para os resultados durarem e a pele ficar protegida. É um procedimento que deixa a pele muito sensível, portanto deve-se evitar ao máximo a exposição solar, com cuidados extremos pelo menos nos primeiros 7 dias depois do tratamento.

Use filtro solar de 4 em 4 horas e evite ficar pegando na área tratada. Peça recomendações também de algum hidratante bom e protetor para passar diariamente. Esses cuidados são muito importantes, pois a pele estará muito sensível e apta a aparecimento de manchas, que é justamente o que não queremos!

Descamação após peeling químico é normal?

É completamente normal que haja uma descamação na pele durante e até depois do peeling químico. Isso porque as camadas superficiais foram atingidas pelos ativos dos ácidos, fazendo com que elas sejam removidas.

Essa descamação pode causar sensibilidade da pele, afinal está expondo camadas inferiores, portanto os cuidados são muito importantes, conforme citamos acima. Evite arrancar as casquinhas, apenas vá limpando conforme orientações do médico.

Quantas sessões são necessárias?

A quantidade de sessões de peeling químico varia de acordo com a necessidade da pele de cada um. Para casos de clareamento de manchas simples ou manchas de acne, por exemplo, são necessária 5 sessões para resultados visíveis e duradouros; para casos de cicatrizes mais profundas, podem ser necessárias até 10 sessões.

Essa quantidade pode diminuir caso estejam sendo feitos outro tratamentos estéticos ou uso de medicamentos tópicos também.

Valor do peeling químico

Peeling mais simples para tratar áreas superficiais custam de R$150 a R$300 reais por sessão. Já os mais profundos, que são mais caros, podem variar de R$600 a R$1.500 reais por sessão. A forma mais comum de comprar sessões de peelings é por pacote, com algum número específico de sessões, assim sai mais em conta para o cliente.

Antes e depois do peeling químico

Confira a seguir algumas fotos de antes e depois de pessoas com diferentes tipos e condições de pele após sessões de peeling químico:

Antes e depois do peeling químico Antes e depois do peeling químico Antes e depois do peeling químico Antes e depois do peeling químico Antes e depois do peeling químico

Extra: Receita de peeling caseiro

Para quem ainda não tem condição financeira de fazer um peeling químico no rosto, que tal testar uma receitinha caseira? Com certeza é bem menos abrasivo, possui resultados mais superficiais, mas de certa forma faz bem para a pele. Confira:

Peeling clareador de iogurte com aveia

A aveia em flocos ajuda a remover as células mortas do rosto e o ácido lático do iogurte renova a pele; ambos controlam a produção de melanina, evitando possíveis manchas na pele e tratando as atuais, clareando gradualmente.

Ingredientes:

  • 1 colher de sopa de aveia em flocos finos;
  • 1 colher de sopa de iogurte natural.

Como fazer:

Misture tudo num recipiente; lave bem o rosto com sabonete adequados; aplique a mistura fazendo massagens suaves e circulares por uns 3 minutos; deixe agir por 10 minutos; lave bem em seguida; finalize com protetor solar e hidratante.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here